quinta-feira, 4 de julho de 2019

*UM CONTO DE FADAS



*Um conto de Fadas

Foi um dia na escola
Escola pobre do bairro
Pôs o livro na sacola
Boneca só as de barro.

A professora na sala
Contava história de fada
A menina ali sonhava
O livro velho folheava.

Sonhava com as letrinhas
Queria lê o mais rápido
Para contar historinhas
No domingo ou no sábado.

As letrinhas dançavam
Veio às sílabas a bailar
As frases já deslizavam
Na boca o alfabetizar.

Onde encontrar os livros?
Das fadas e das princesas!
Foi no lixão dos humildes
Que encontrou as tristezas.

O livro rolava ao vento
Chorando do seu mau trato
A menina viu no relento
E guardou como um retrato.

Mirou a princesa loura
Sentiu-se tal qual a lenda
Dormiu com o livro no peito
Sonhado que era a outra.

Toda noite o sonho vinha
Com esperança de vida
Ser alguém e sempre tinha
A esperança bem-vinda

Quem sabe um dia qualquer
Encontre um sapo príncipe
E faça o mundo crescer
Nas letras, o amor, o saber.

Sonia Nogueira


sexta-feira, 29 de julho de 2016

*O TATU BIGODE


O Tatu Bigode  (até sete anos)
              Sonia Nogueira

O tatu Bigode gostava muito de desenhar. Queria fazer um barquinho para atravessar o rio, mas sentia dificuldade ao traçar o modelo do desenho. Ele fez um risco reto e não sabia mais o que fazer. Ficou pensando, pensando e foi pedir ajuda dos seus amiguinhos animais.

sábado, 31 de janeiro de 2015

*A CIGARRA E A ABELHA



A  Cigarra e a Abelha

A rainha mãe das abelhas ouviu a cigarra cantar, olhou para o alto e comentou: Você canta, canta... Vá trabalhar cigarra preguiçosa. Vive só de cantar?
Não gosta de música senhora matriarca? A música é arte, poesia e encanto.
E você, formiga, trabalha, trabalha, alimenta-se e morre... Reflita e pense: qual de nós é mais feliz?

domingo, 28 de dezembro de 2014

*A FORMIGA E A BARATA


*A Formiguinha e a Barata
                   (fase mágica 6 a 7 anos)
                                          Sonia Nogueira

A formiguinha e a barata gostam da comida que fica em cima da mesa, no fogão. Por isso, na casa da Sony, a mesa está sempre limpa os pratos lavados.
A dona barata precisava de alimento para o casamento da sua filha baratinha. A baratinha namorava o Baratoa preguiçoso, e não queria trabalhar. Mas tem que trabalhar Baratoa, dizia a dona barata. Vamos carregar o queijo da casa da Sony para a festa do seu casamento.
Vamos pedir a ajuda das formiguinhas, elas são trabalhadoras e amigas.
Ô de casa!

terça-feira, 24 de janeiro de 2012

*O GATO E O RATO




*O Gato e o Rato

O ratinho Roiroi, andava triste e contrariado. Perguntou a dona Ratazana:
Mãe, porque o gato corre tanto atrás de mim? Quando boto a cabeça fora da toca, na nossa casinha, no buraco, olho para um lado para outro, se ele estiver não consigo sair. Ele corre, corre, eu corro também muito, para ele não me pegar.
Não sei filho. Ele faz assim também comigo e com todos da nossa família.
À noite o ratinho Roiroi, ia saindo da sua toca e parou. Ouviu as pessoas da casa conversando, na hora do jantar.
A Lili comentou:

sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

*EU NÃO SOU MAU




* Eu não sou Mau

Ao rodar a chave na fechadura, faz barulho por ser de alumínio. Antes, porém, tenho o cuidado de olhar no visor para não ter surpresas. Certa vez ao abrir, um pedinte adolescente, de um fôlego inesperado pediu ajuda. Foi susto e surpresa.
Hoje esquecendo o ocorrido abri de imediato.
Oi tia, eu saí da cadeia,

sábado, 13 de agosto de 2011

*ONDE ESTÁ MEU PAI



*Onde está meu Pai?

Mãe, onde está meu pai, mãe, falou André?
Seu pai filho foi viajar.
Para onde que nunca mais voltou! Estou tão fraco, doente, sem dinheiro para meu tratamento. O médico disse que precisa de muito dinheiro para fazer o tratamento. Aqui no Brasil não tem, só na Alemanha. O que podemos fazer mãe, eu nunca vou andar?
É verdade filho, mas